quarta-feira, 3 de outubro de 2007

"VOLTASTE"


Voltaste!
E vieste despertar o que há muito estava guardado
Guardado nesta caixinha chamada coração
Vieste abrir as grades desta prisão de ficção
Onde eu morria lentamente
Aguardava por ti ansiosamente
Pensava que já não tinha vontade de amar
Mas como me enganei…
Vieste buscar o que te estava destinado
O que te pertence por amor
Vieste consolar este pobre coração
Que estava adormecido
Ansiava por ti
Suspirava por ti
Sonhava contigo
Amanhece!
As estrelas extinguem-se no céu
Que passou de veludo negro para cinzento pérola
O sol sobe devagar
Salpicando o ar com contornos de ouro
E eu penso:
Como é possível amar alguém assim
Desejo abraçar-te
E adormecer enroscada no teu corpo
Desejo sentir-te o homem que me faz arder nesta paixão
Quero-te meu


"BRASA"

Um comentário:

Sailing disse...

Vim visitar o teu mundo. Encontrei encanto, sentimento, palavras que ilustram imagens e momentos.

Adorei.

Voltarei na certa