quarta-feira, 31 de outubro de 2007

"AMAR ATÉ AO AMANHECER"


No entardecer da vida
Caminhando junto á praia
Nesta falésia agreste
Como uma pedra solta no caminho
Vieste ao meu encontro
Falámos deste verão sem fim
De banalidades
E o amor aconteceu
Veio em forma de amizade
Mas havia algo no ar
Algo que ultrapassou o imaginário
Houve lentamente uma transformação
E o que parecia ser uma bela amizade
Transformou-se num grande amor
Amo este amor sem barreiras
Não conheço nenhuma outra razão
Para te amar senão amar
O amor desconhece razões
Ama sem perguntar se pode
O teu olhar atrai-me
Olho-te…e o teu corpo chama-me
Vou ao teu encontro…envolves-me no teu amor
Sinto-te junto a mim… acaricias-me
Sinto o teu hálito no meu rosto
O teu cheiro entontece-me
Os teus beijos sabem a mel
És como uma abelha- mestra
Sugando o mel para a sua colmeia
Vem amar a tua flor
Sabes tão bem amar
Esquecemos o mundo lá fora
O vento uiva na noite
Olho através da vidraça
Enlaças-me beijas-me fazes-me tua
A noite é nossa companheira
È nossa cúmplice
As estrelas brilham no céu há amor no ar
A lua alumia o nosso quadro de amor
Sorri feliz
È nossa amiga
È amiga dos enamorados
Sou feliz
Vamos amar até ao amanhecer. "BRASA"

Um comentário:

Diogo disse...

Parabéns pelo blog. Gostei muito.

Apareça também no meu

http://100folhas.blogspot.com/